Charles Perrault, pai da literatura infantil, ganha homenagem do Google

Charles Perrault , escritor francês considerado pai da literatura infantil, recebe Doodle do Google nesta terça feira (12), dia em que faria aniversário. Perraut deu forma ao que se chama de “contos de fada”, e é autor de grandes clássicos do gênero, como “Chapeuzinho Vermelho”. A homenagem de hoje traz ilustrações de obras famosas escritas por ele: “A Bela Adormecida”, “Cinderela” e “O Gatos de Botas”.

O escritor iniciou sua trajetória cursando direito, chegou a se tornar conselheiro do Rei Luís XIV e, somente quando aposentado se dedicou às histórias. Já idoso, resolveu registrar as histórias que ouvia de sua mãe e nas ruas da França, em um livro que recebeu nome de “Contos da Mãe Gansa”. A obra reúne não só os contos homenageados no dia de hoje, mas também outros famosos como “Gata Borralheira” e  “Pequeno Polegar”, que, mais tarde, ganharam adaptações para filmes.

Doodle Charles Perrault (Foto: Reprodução/Google)

Reprodução Doodle Google 12/01/2016

 

O Doodle desta terça foi feito por Sophie Diao, e está disponível em boa parte do mundo. Ele mostra, de forma aleatória, a cada entrada do usuário no Google, uma imagem de um dos contos mais famosos de Perrault: A Cinderela indo para o baile, a Bela Adormecida prestes a ser acordada e o Gato de Botas.

“Pai da literatura infantil”

Nascido em 12 de janeiro de 1628 em Paris, Perrault foi quem estabeleceu as bases para o gênero dos contos de fadas que conhecemos hoje. Foi o autor de clássicos como Gato de Botas, Chapeuzinho Vermelho, A Bela Adormecida, Barba Azul e O Pequeno Polegar.

Doodle Charles Perrault (Foto: Reprodução/Google)

 

Perrault nasceu em uma família da alta burguesia, começou seus estudos no colégio de Beauvais e posteriormente formou-se advogado, em 1651, com apenas 23 anos de idade. Três anos depois, tornou-se assistente de Colbert, famoso conselheiro do Rei Luís XIV. Em seguida, virou superintendente das obras públicas do reino. Em 1671, tornou-se membro da Academia Francesa de Letras.

Doodle Charles Perrault (Foto: Reprodução/Biography.com)

Charles Perrault

 

Lá, foi um dos integrantes da longa disputa intelectual chamada Querela dos Antigos e dos Modernos. Os Antigos eram um grupo que defendia a superioridade de conteúdos feitos pelos greco-romanos, e os Modernos, grupo do qual Perrault fazia parte, tinham como “preferidas” as obras francesas. Apesar de bastante ativo nesta área, o escritor somente fez sua principal obra bem depois disso.

Antes disso, porém, já era um célebre autor, conhecido pelos seus poemas galantes, preciosamente escritos. Escreveu, por exemplo, uma coletânea poética intitulada Le Miroir (O Espelho) ou A Metamorfose de Orante e La Chambre de Justice d’Amour (A Câmara da Justiça do Amor). Em 1653, publicou um poema burlesco, Les Murs de Troie (Os Muros de Troia), em que atacou enfaticamente a antiguidade.

Em 1695, aos 62 anos, perdeu seu posto como secretário do Reino, e então, já idoso, resolveu contar para todos as histórias que ouvia de sua mãe e dos salões parisienses. Publicou o livro “Contos da Mamãe Gansa”, em 11 de janeiro de 1967, e estabeleceu ali a gênesis dos contos de fadas. Foi o primeiro a dar um fim literário a estas histórias, que eram apenas contadas verbalmente entre as damas dos salões parisienses.

Doodle Charles Perrault (Foto: Reprodução/Google)
 

O livro tinha os contos e as “morais das histórias”, em forma de poesia, encerrando cada uma das histórias.  O livro é até hoje vendido em livrarias de todo o mundo, e as adaptações de suas histórias, é claro, já são históricas.

Casado com Marie Guichon, Perraut teve quatro filhos, Charles Samuel, Charles, Pierre Darmancour e uma menina cujo nome não se sabe, porque não há documentos a seu respeito. Após apenas seis anos de casamento, sua esposa faleceu de varíola. Ele, por sua vez, viveu até os 75 anos, vindo a falecer em 16 de maio de 1703.

Referencias: observador.pt, techtudo.com.br/noticias/

Anúncios